03/12/2010

"No avançado da hora"


“Deito-me na cama e sinto-me como se estivesse drogada. Meu corpo todo estremece,
tenho uma sensação diferente da real. Sinto as células de meu corpo inquietas. Agitadas.
Paro um segundo só para sentir tal efeito. Como se meu corpo estivesse se ajeitando.
Repassando o que foi vivido e sentido no dia de hoje. Se colocando no lugar.
Tenho me sentido sacaneando o meu corpo. Não dou à ele a chance de não conseguir dormir.
Forço-o até a exaustão. E quando ele finalmente não tem mais condições, deito-me e durmo.
Assim, engano-me e posso falar: ‘passei a noite em claro porque quis. E quando quis, dormi.’”

Solidão conselheira dos difíceis momentos? Solidão enfrentar os medos. Solidão encarar a si mesmo?
Solidão busca pela minha essência?! Solidão autoconhecimento? Solidão ter de me bastar apenas em mim.
Solidão só ou solidão povoada? Solidão luz ou solidão escuridão? Solidão doença ou solidão circunstância?
Solidão medo ou solidão escolha?! A solidão é um sentimento confuso e possui muitos desdobramentos.
Partindo de uma busca pessoal, alimentada por suas próprias experiências, poemas, conversas,
e muitas noites em claro, a intérprete busca, sensivelmente, falar sobre algo intrínseco a todos nós.


05/11/2010

"Descaminhos"


Grupo Esppiral - corpo.criação.movimento



“A estrutura corporal de uma pessoa expressa sua história pessoal,
sua maneira de estar e relacionar-se no mundo. Quando trabalhamos com alguém
lidamos com a lógica daquela forma somática e com o conjunto de regras internas daquela pessoa.”
Considerando que todo o ser humano possui um anseio inato de crescer a si mesmo, Descaminhos fala,
através da poética da dança, da organização e reorganização do corpo vivo, o pulsar da consciência em direção do Ser.

Direção e interpretação: Ana Paula Port



Rua das monções, 1018 - Santo Andre - SP
gambalaia@hotmail.com
(11)4316-1726